Compartilhe o Memorial 0026A

Biografia

Descendente de italianos, seu pai, o engenheiro Carlos Alberto Vanzolini, foi com a família para o Rio de Janeiro quando Paulo tinha quatro anos. A família voltou para São Paulo dois anos depois, em 1930. Paulo cursou o primário no Colégio Rio Branco e o ginásio em escola pública. onde se formou em 1938. Em 1942 ingressou na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Junto com um grupo de estudantes, passou a frequentar as rodas boêmias e a compor seus primeiros sambas.

Em 1944, deixou a casa dos pais e começou a trabalhar com um primo, Henrique Lobo, na Rádio América, no programa Consultório Sentimental, de Cacilda Becker. Em seguida, foi convocado para o Exército, interrompendo os estudos. Dois anos depois retomou o curso de Medicina, passou a lecionar no Colégio Bandeirantes e começou a trabalhar no Museu de Zoologia, da Universidade de São Paulo.

Formou-se em 1947 e casou-se em 1948, com Ilse. No ano seguinte, foi para os Estados Unidos, onde obteve o doutorado em Zoologia pela Universidade Harvard.

Em 1951, por insistência do amigo Geraldo Vidigal, publicou pelo Clube de Poesia o livro Lira de Paulo Vanzolini. No mesmo ano, compôs o samba "Ronda".

Em 1953, foi convidado por Raul Duarte para trabalhar na TV Record, produzindo os programas de Araci de Almeida. Nesse ano, o cantor Bola Sete fez a primeira gravação de "Ronda", acompanhado por Garoto e Meneses, nas cordas, Mestre Chiquinho no acordeão e Abel na clarineta.

Em 1959, o violonista José Henrique, dono da boate Zelão, mostrou o samba "Volta por Cima" ao cantor Noite Ilustrada, que o lançou em 1963, pela Philips, com estrondoso sucesso. Nesse mesmo ano, Paulo Vanzolini foi nomeado diretor do Museu de Zoologia, cargo que exerceu durante trinta anos. Mesmo depois de se aposentar em 1993, continuou trabalhando na instituição. "É a única coisa de que gosto, a única coisa que sei fazer", declarou à revista Scientific American Brasil em 2002.

Em novembro de 1967, Luís Carlos Paraná, da boate Jogral, e Marcus Pereira, dono de uma agencia de publicidade, resolveram produzir um LP com as composições inéditas de Paulo Vanzolini, conhecidas apenas por seus amigos frequentadores das mesmas rodas de samba.

Morte

Paulo Vanzolini morreu no dia 28 de abril de 2013, em São Paulo, aos 89 anos.5 Ele estava internado desde o dia 25, dia em que completou 89 anos,na UTI do Hospital Albert Einstein, com uma pneumonia extensa.

Homenagens

Vanzolini foi homenageado pela escola de samba carioca Mocidade Independente de Padre Miguel em 1985, com o tema "Ziriguidum 2001, um carnaval nas estrelas", sobre o século do samba.Também foi homenageado pela escola de samba paulistana Vai-Vai no ano de 2005 com o enredo "Eu também sou imortal", tema sobre o samba e a boemia de São Paulo. E logo após o seu falecimento, em 29 de abril de 2013, a escola de samba paulistana Mocidade Alegre anunciou seu enredo de 2014, tendo como tema os 90 anos do boêmio paulista.

Após sua morte, a Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo anunciou uma homenagem na Virada Cultural da cidade.O senador Eduardo Suplicy também manifestou pesar pela morte de Vanzolini em discurso no Senado Federal, encaminhando, em seguida, requerimento de inserção em ata de voto de pesar pelo falecimento do biólogo e compositor.

Prêmios e condecorações

Paulo Vanzolini foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico.

  • Em agosto de 2008, o cientista e compositor foi também premiado pela Fundação Guggenheim, em Nova Iorque, em virtude de suas contribuições para o progresso da ciência. O mesmo prêmio foi dado a três outros cientistas brasileiros, em outras áreas além da biologia.
  • Em março de 2013, recebeu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pelo conjunto da obra.

Documentários

Paulo Vanzolini foi tema de três documentários do diretor Ricardo Dias, de cujo pai era amigo. Os dois primeiros sobre o seu trabalho como zoólogo e o terceiro,Um homem de moral, sobre sua obra musical.

Discografia

  • 1967: Onze Sambas e uma Capoeira (vários intérpretes)
  • 1974: A Música de Paulo Vanzolini
  • 1981: Por Ele Mesmo
  • 2003: Acerto de Contas

Livros publicados

  • Lira de Paulo Vanzolini
  • Tempos de Cabo - - Ilustrações de Aldemir Martins - 1981 (reeditado em 2009)
  • An annotated bibliography of the land and fresh-water reptiles of South America (1758-1975) - v. I - MZUSP, 1977 - 186 páginas
  • An annotated bibliography of the lan d and fresh-water reptiles of South America (1758-1975) - v. II MZUSP, 1978 - 316 páginas

 

Fonte:Wikipedia