Compartilhe o Memorial 0123A

Biografia

Marcelo Tupynambá, pseudônimo de Fernando Álvares Lobo (Tietê, 29 de maio de 1889 - São Paulo, 4 de Julho de 1953), foi um músico brasileiro.

Filho do Maestro Eduardo Álvares Lobo e D. Maria Rodrigues de Azevedo Lobo, professora; sobrinho do maestro e compositor Elias Álvares Lobo. Ainda pequeno mudou-se para São Paulo, onde fez o curso primário.

Na cidade de Pouso Alegre, preparou-se para ingressar na Escola Politécnica, formando-se em Engenharia Civil em 1914. Trabalhou como engenheiro mas, sentindo que a sua verdadeira vocação era a Música, a ela passou a dedicar-se inteiramente.

No ano de 1914, musicou a revista teatral de Danton Vampré, denominada "São Paulo Futuro" e, a partir daí, nada deteve sua carreira de compositor, que alcançou renome internacional. Naquele mesmo ano adotou o pseudônimo de Marcelo Tupynambá pois, à época, um "músico não era visto com bons olhos". Durante a sua carreira compôs mais de mil e duzentas melodias, das quais seiscentas foram impressas e gravadas. Marcelo Tupinambá foi autor do Hino Constitucionalista de 1932/MMDC, "O Passo do Soldado", para o qual Guilherme de Almeida escreveu depois a letra, com interpretação de Francisco Alves.

Foi casado com Dona Irene Menezes Lobo, com quem teve os filhos: Cecilia, Helena, Samuel, Cláudio, Eduardo, Thereza e Ignês.

A herma que os tieteenses ergueram em sua homenagem foi inaugurada em 27 de Agosto de 1967. O dia 30 de maio foi instituído Dia de Marcelo Tupynambá pela Lei n° 1.149 de março de 1972.